quinta-feira, 16 de maio de 2013

Segurança é fundamental



Nos dias de hoje, todo cuidado é pouco quando o assunto é segurança. Preste atenção às nossas sugestões.

Para o síndico:
. Na hora de contratar um funcionário, exija informações pessoais e referências de trabalhos anteriores.
. Obrigue o uso de crachás.
. Mantenha na portaria um sistema de alarme que toque em algum prédio vizinho, em caso de emergência.
. Levante a ficha dos funcionários dos apartamentos, com nome, número de documentos e foto. Essas fichas devem ficar na portaria.
. Evite o uso de armas pelos funcionários e o uso de uniformes chamativos.
. Exija do porteiro ou zelador que o morador seja sempre avisado de alguma visita ao prédio ou ao seu apartamento.
. Oriente o porteiro e o zelador sobre a não entrada de vendedores, entregadores de pizza ou flores.
. Não permita que os empregados dos prédios aceitem chaves dos condôminos, mesmo que por pouco tempo.
. Se for possível, instale o interfone de modo que as pessoas tenham que acessá-lo para falar com o porteiro, o que já garante maior segurança. Lembre-se também de fazer a manutenção mensal do interfone, que, uma vez quebrado, ocasiona uma série de transtornos.
. Sugira a utilização de correntes e cadeados nas bicicletas e motos dos moradores.
. Recomende ao porteiro que exija a identificação de empregados de outras empresas que venham prestar algum serviço no edifício ou em algum apartamento.
. Utilize portões eletrônicos nas garagens e instale um sistema eficaz de segurança, com alarmes, circuitos de TV, sensores, rádios transmissores e receptores.

Para os moradores:
. Ao entrar no prédio com o carro, tome cuidado e verifique se há outro veículo atrás do seu.
. Evite deixar objetos de valor no carro.
. Não abra a porta do apartamento para desconhecidos.
. Oriente seus filhos a não comentarem o que você faz, quanto ganha e se tem planos de viagem.
. Acate sempre o que ficou estabelecido nas regras do condomínio, incluindo aí as instruções dadas aos porteiros e demais funcionários do prédio.

É lei: o síndico é responsável pela contratação dos seguros obrigatórios para o condomínio. Pesquise a empresa que oferece a melhor proposta e não corra riscos. Seguro contra incêndio ou outros sinistro (Lei 4.951/64 - artigo 13), seguro de vida em grupo de empregados (Convenção Coletiva - Cláusula 6ª), de responsabilidade civil do condomínio, vidros e riscos diversos são básicos.
O prazo para contratação é de 120 dias após o habite-se sob pena do condomínio ficar sujeito à multa mensal equivalente a 1/12 do imposto predial. Também existem empresas que oferecem seguro contra roubo de toca-fitas, bicicletas e até motos na garagem.
Um edifício limpo e bem cuidado é sempre agradável, além de diminuir os riscos à saúde. Fazer tratamento adequado da água do prédio, e realizar a limpeza periódica da fossa também ajudam a evitar doenças. Confira abaixo, essas e outras medidas necessárias para a higiene do seu prédio:

. Detetize as áreas comuns. E tente convencer os moradores a fazerem o mesmo em cada apartamento. A detetização deve ser feita de seis em seis meses.
. Providencie a lavagem e desinfecção semestral das cisternas e caixas d'água por meio de empresas especializadas. Para manter a qualidade da água, algumas empresas realizam tratamentos tão eficazes que eliminam até mesmo partículas de ferro.
. Faça exames médicos periódicos dos empregados. É lei: a NR-7 e a NR-9 (normas regulamentadoras), do Ministério do Trabalho, deixam claro que todos os empregados são obrigados a cumpri-las, sob risco de pagarem pesadas multas. NR-7 - Programa de Controle Médico da Saúde Ocupacional / NR-9 - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA).
. Evite problemas de entupimento dos canos, fazendo um trabalho de conscientização com os moradores. É importante executar reparos anuais, para impedir o acúmulo de crostas nos canos.
. Peça ao condômino que comunique, por escrito, a existência de um morador que esteja com doença contagiosa.
. Confira como está sendo feita a limpeza da água da piscina e se a qualidade está exata.
. Mantenha sempre um kit de primeiros-socorros na portaria, para o caso de algum funcionário ou morador se machucar.
. Peça um cuidado todo especial aos funcionários na hora de lidarem com produtos tóxicos de limpeza. O uso de luvas e botas é importante para evitar irritações na pele.

Como economizar água:

Em época de racionamento, economizar água é uma obrigação de cada morador. Evite desperdícios:
. Tome banhos curtos.
. Regule a válvula da descarga.
. Conserte rápido os vazamentos.
. Não use o sanitário como lixeiro.
. Mantenha a torneira fechada as escovar os dentes ou ao se barbear.
. Se a pressão nas torneiras é elevada, utilize um disco limitador de vazão.
. Utilize balde ou escovão.
. Não use água como vassoura.
. Regue as plantas ao amanhecer ou à noite.

Como economizar energia elétrica :

Você sabia que a energia elétrica é responsável por 12% a 30% das despesas de um condomínio? Eis algumas dicas importantes para diminuir o consumo do seu edifício:
. Mantenha acessas apenas as luzes necessárias. Procure, ao máximo, usar a iluminação natural, abrindo janelas e persianas de ambientes como hall, sala de visitas, salão de festas e salão de jogos.
. Substitua as lâmpadas incandescentes por lâmpadas PL (fluorescentes compactas) nos banheiros, cozinhas e estacionamento interno.
. Instale minuterias temporizadas ou sensores nos corredores de prédio e escadarias.
. Nos estacionamentos externos e jardins, troque as lâmpadas mistas ou a vapor de mercúrio pelas de vapor de sódio.
. Instrua os condôminos e funcionários a chamarem apenas um elevador. Nunca os dois ao mesmo tempo.

Vale destacar que:
40Kg de papel evitam o corte de uma árvore
1 tonelada de latinhas usadas evita que o homem vá colher na natureza 5 toneladas de bauxita.
Animais em apartamentos :

Um dos problemas mais comuns em condomínios é quanto à presença de animais em apartamentos. Os regulamentos normalmente proíbem, mas alguns, se houver concordância geral, permitem a presença de animais de pequeno porte. No caso do cão de um morador morder o vizinho, a responsabilidade é toda do proprietário do animal. Mas, atenção: se o regulamento interno do condomínio proíbe a manutenção de animais, o síndico pode ser acionado por "responsabilidade solidária".

Lei do Silêncio

Para fazer valer o silêncio num condomínio, o morador pode apoiar-se nas seguintes normas legais: Código Civil, art. 554; Lei do Condomínio, arts. 10, III, e 19; Lei das Contravenções Penais, art. 42; Portaria do Ministério do Interior 092 de 19-6-80; além das leis municipais.
Só que o bom senso ajuda a evitar constrangimentos. Som alto às seis horas da manhã de um domingo é um abuso. Mas, se uma festinha infantil, no sábado à noite, for além do horário permitido não é o fim do mundo. Procure ser tolerante, amanhã pode ser a sua festa.
Postar um comentário