segunda-feira, 9 de setembro de 2013

E ate hoje aguardo um posicionamento do Sindico referente a esta ocorrência.


Salvador, 07 de Setembro de 2013.



Cond.Verdes Mares.

Em atenção ao Sindico Sr.



Bom dia,

Fato ocorrido ontem a pos as 18:00 horas, funcionário da obra casa D5 apos saírem da área do condomínio em sua moto em torno das 17:00 horas, retornaram com sua moto quebrada, pararam na frente do portão de entrada de veiculo, e eu perguntei o que queriam, o que parece ser o proprietário do veiculo falou, quero entrar, como já tinha se retirado quase em um espaço de uma hora da área do condomínio, eu não permitir , pois a sua permanência na área interna do condomínio acredito, seja enquanto o mesmo Esteja exercendo suas funções profissional, e como não tinha, Nem uma autorização Por escrito  para o mesmo entrar a qualquer hora, mantive minha posição da não permissão da sua entrada ate a casa onde ele trabalha, alegava o mesmo que iria guardar sua moto quebrada, sugerirá o mesmo deixar sua moto no estacionamento ao lado da guarita, que ele afirmou que colocaria na casa pois o mesmo tem a chave dela, agora eu pergunto se por acaso ele voltasse durante a madrugada alegando não ter podido ir Para casa, seria Justificativa para o porteiro permitir sua entrada a te o imóvel que trabalha durante o dia, só por que ele tem a chave para acessa la? Onde o mesmo mim chamou de filho da puta, boçal e viado, isto eu estando no meu posto, fato presenciado pelo ronda Raimundo, não lhe dirigir Nem uma palavra ofensiva, na saída o mesmo disse que ajeitaria minha vida, e durante suas palavreadas de pessoa desequilibrada falou em mim detonar, sobre estas condições gostaria da administração do condomínio providências perante o seu empregador, para que tais atitude sejam reprimida e que eu possa ter a garantia que minha vida e minha pessoa física sejam resguardada de possível ação desta pessoa, pois tal fato foi ocorrido durante a minha atividade funcional, seguindo as normais de proteção e acesso ao  condomínio, só quando autorizado dos moradores.

Atenciosamente,

Paulo Roberto
Postar um comentário