quinta-feira, 16 de maio de 2013

ex-porteiro, mobiliza condomínio


VIDA NOVA

Drama do 'seu' Mário, ex-porteiro, mobiliza condomínio

Aposentado passa seu 1º dia na Associação Franciscana de Assistência Social Coração de Maria

11/05/2013 - 09h37 | Fábio Gallacci
gallacci@rac.com.br

Foto: Elcio Alves/AAN
Mário Martini está na Associação Franciscana de Assistência Coração de Maria
Mário Martini está na Associação Franciscana de Assistência Coração de Maria
A placa de agradecimento pelos anos de bons serviços prestados fixada no salão de festas do Conjunto Residencial Jardim Europa, no Jardim São Bento, em Campinas, não deixa dúvidas de que a pessoa homenageada é muito querida por todos no local. O nome em destaque é o do porteiro aposentado Mário Martini, de 92 anos, que esta semana virou notícia por ser vítima de abandono e maus-tratos dentro da própria casa, na Vila Industrial.

Os moradores que batizaram o espaço de lazer com o nome do funcionário que atuou por 24 anos ali ficaram chocados quando viram o estado do idoso em reportagem no Correio Popular: muito magro, sujo, sem as roupas de baixo e perambulando sob o sol em um quintal. “Não teve quem não chorasse ao ler a reportagem. Seo Mário não é uma pessoa qualquer, ele tem uma história e o respeito de todos aqui”, afirmou uma moradora.

A ação da Prefeitura fez com que, anteontem, Martini deixasse sua casa e fosse encaminhado para um abrigo, onde já recebe atendimento especializado. A novidade foi comemorada por todos no condomínio. Mesmo assim, o grupo se mobilizou para ajudar o antigo amigo no que ele precisar. Hoje, parte dos moradores fará uma visita ao aposentado no abrigo. Na mala, muitas roupas, bolachas e o carinho que ele sempre dedicou aos outros.

O idoso trabalhou no edifício até dezembro de 2010 e se aposentou. Segundo vizinhos, ele sempre tinha uma brincadeira, uma piada ou uma gentileza pronta para agradar. Nas horas vagas, ensinava a criançada a aprender a tabuada.

Raphaela Ribeiro chegou ao residencial com 6 anos e cresceu vendo Martini trabalhar na portaria. Enquanto ainda estava cursando jornalismo, ela e alguns colegas de faculdade produziram uma reportagem com o aposentado sobre idosos que se mantêm ativos. Martini foi um dos personagens principais do trabalho. “Ele era uma pessoa sempre disposta, sabia o nome de todos os moradores, entregava todas as correspondências corretamente. Amava o que fazia. A matéria que saiu no Correio sobre o estado de abandono dele foi um choque. Chorei muito quando li. Fiquei abismada. O seo Mário é um ser humano, digno de respeito e dignidade”, disse Raphaela.

Os mais antigos também sentiram pelo amigo. “Sou moradora do condomínio há 30 anos e conheço o seo Mário desde o dia em que ele entrou aqui. Ele nunca faltou no serviço, um profissional exemplar. Todo mundo gosta dele. A situação que vimos no jornal nos feriu demais”, afirmou a moradora Darci Grigolon Comar.

Um grupo grande se reuniu na tarde da última quinta-feira no salão Mário Martini para comentar o assunto, mostrar indignação, mas, acima de tudo, solidariedade. Antes de saber que o aposentado seria amparado pela Prefeitura e levado para um abrigo particular adequado, os moradores se mostraram dispostos até a acionar coletivamente a Justiça para que algo fosse feito para a proteção do idoso. Mesmo aposentado, Martini costumava visitar o conjunto de prédios para rever os conhecidos.

“Uma coisa que me entristeceu na reportagem foi quando disseram que ele estava xingando os outros (em casa). Lembro que todas as vezes que a gente abria a porta para ele entregar uma carta sempre tinha uma piada ou uma historinha para contar. Lembro também do chapéu, que ele falava que o Indiana Jones tinha dado para ele. É o mesmo chapéu que aparece na foto da reportagem. Mas, alguém falando palavrão... Esse não é ele”, disse o também morador Renato Ribeiro.

Na nova casa, idoso recupera a dignidade
Banho, barba feita, roupas e sapatos novos. O primeiro dia do porteiro aposentado Mário Martini, de 92 anos, na Associação Franciscana de Assistência Social Coração de Maria (Afascom), entidade conveniada à Prefeitura no Jardim Von Zuben, onde ele ficará por tempo indeterminado, foi de adaptação e atenção total. Mesmo recém-chegado, o idoso mostrou satisfação em estar ali. Comeu bem, conversou, aceitou fazer a higiene, disse que era palmeirense e ainda quis saber os nomes de todos os outros idosos que estão abrigados com ele. Na tarde de ontem, voltou para o Centro de Referência do Idoso (CRI), da Secretaria de Saúde, para novos exames e para a troca do curativo no braço esquerdo, feito no dia em que o seu estado de abandono foi revelado. Contudo, até o final da tarde de ontem, ninguém da família havia procurado por ele.

“Seo Mário é uma criatura maravilhosa, muito inteligente e lúcido. Uma pessoa do bem. Está se adaptando rapidamente e se mostrou super integrado com as demais pessoas daqui”, disse a irmã Antônia Cacilda dos Santos, assistente social da Afascom e coordenadora do abrigo da Instituição de Longa Permanência da entidade. Ela está pessoalmente cuidando para que todo o atendimento seja o melhor possível para o aposentado. Inclusive, acompanhando ao lado do idoso os seus atendimentos médicos. “Dou a minha palavra de que nós daremos a ele toda a atenção e cuidados necessários. Ele vai ter tudo o que um ser humano precisa e merece para manter a sua dignidade”, acrescentou.
Postar um comentário